Faça do Brasileiros na Holanda a sua página inicial
Anuncie Aqui Anuncie Aqui
logo banner
 Clima   Traffic  moeda positivo Como anunciar
setinha Aprenda Holandês
setinha Classificados
setinha Como chegar
setinha Entrevistas
setinha Ferias escolares
setinha Forum de discussão
setinha Indique o site
setinha Integração Civil
setinha Livro de visitas
setinha Missas em português
setinha Promoções telefônicas
setinha Revista
setinha Turismo
setinha Viagem de menores
setinha Vídeos
Press award

COLUNAS
Entrevistas - Neste espaço publicaremos entrevistas com brasileiros na Holanda e também com holandeses no Brasil.
 
Entrevista com Eliane Bronsema-Teixeira Cardoso
 
Data: 27/10/2004
 

 

 

 

A dentista Eliane-Bronsema Teixeira Cardoso e mora há 19 anos na Holanda foi convidada para integrar uma comissão nacional responsável por orientar instituições especializadas no tratamento bucal de idosos e pacientes com doenças crônicas.

 

 

 

Heloisa Dallanhol - Seus primeiros tempos longe do nosso país não foram nada fáceis, principalmente porque seu diploma não foi reconhecido. Como foi esta decepção?
Eliane - Eu era dentista no Rio de Janeiro, especializada em odontopediatria, e durante 13 anos tive meu próprio consultório. Quando cheguei na Holanda, estava totalmente convicta que poderia exercer minha profissão porque quando ainda estava no Brasil, tive diversos contatos com o Ministério da Saúde daqui através de cartas. Eles me responderam que eu poderia trabalhar na Holanda mediante algumas condições: que dominasse o idioma e encontrasse um colega dentista que pudesse observar e julgar meu trabalho, pois era uma das exigências.

HD - Durou muito o choque inicial ou a fase de adaptação?
E - Entre ter filhos, aprender holandês e procurar um dentista que fosse meu orientador, passaram-se quase 7 anos. Durante este período entrei em contato com universidades e instituições de odontologia, escrevi muitas, muitas cartas para colegas dentistas e às vezes sequer recebi resposta!!!

HD - Mas após tantas tentativas você conseguiu alguém gabaritado, ainda que não tenha sido a solução definitiva.
E - Realmente, um professor da Universidade de Groningen me "aceitou" para eu trabalhar com ele em um centro odontológico especializado para excepcionais, mas veio a falecer por causa de um câncer. Porque eu ainda não tinha o tempo de prática necessário, não foi possível revalidar meu diploma. Decidi então estudar para ser higienista bucal, pois poderia fazer o curso em apenas 2 anos. Também porque prevenção bucal, uma das bases da higiene bucal, era uma especialidade da odontologia na qual eu já tinha bastante experiência clínica.

HD - Uma vez concluída tal formação, foi difícil competir com os holandeses em igualdade de condições?
E
- Muito! Para isso tive que escolher uma área em que ninguém ou poucos se atreviam. Optei pela odontogeriatria (para tratar de idosos), porque acho que esta vai ser a odontologia do futuro. O mundo está envelhecendo e as pessoas mantêm seus próprios dentes cada vez por mais tempo, em consequência de fatores como melhores hábitos de higiene bucal, aumento da qualidade de vida, avanços nas áreas da saúde e educação.

A odontogeriatria não se limita à produção de dentaduras - que aliás vai ser coisa do passado dentro de alguns anos! Ela difere das demais especialidades por tratar o paciente como um todo. O profissional desta área odontológica precisa ter uma noção geral do quadro biológico, psíquico e social do paciente idoso.

HD - Sua escolha tem se mostrado acertada?
E
- Devagarzinho estou sendo recolhecida pelo que eu faço, acho que por causa do meu entusiasmo e de muita persistência. Ou porque ainda não existe muita concorrência nesta área.

HD - Não podemos esquecer que você integra uma equipe de profissionais responsáveis por elaborar as regras para o tratamento odontológico de pessoas muito especiais. Às vezes nem acredito! Uma brasileira entre os "cobrões" holandeses! Você poderia explicar melhor este triunfo?
E - Desde janeiro de 2004 faço parte de uma comissão multidisciplinar - composta por médicos, higienistas e dentistas, entre outros. Estamos fazendo protocolos para os cuidados bucais em pacientes com doenças crônicas e idosos. Quando tudo estiver pronto, as instituições especializadas deverão trabalhar conforme nossos conselhos. Este é um projeto muito importante porque até agora não existe nada nesse sentido.


HD - Participar desta equipe é apenas uma das suas diversas atividades. Como é seu ritmo de trabalho no presente?
E
- Atualmente trabalho com um colega dentista em um consultório e em duas casas para idosos. Estou me especializando em problemas como boca seca e cuidados bucais em pacientes terminais. No meu pouco tempo livre me dedico a uma associação (Brazilië-Holland Stichting) que tem por objetivo angariar recursos financeiros para ajudar crianças carentes no Brasil. Para tanto, promovemos a tradicional festa de carnaval em Gronigen, além de outras atividades.

HD - Para finalizar, que mais você aprendeu em quase duas décadas vivendo na Europa?
E
- A experiência de quase 19 anos na Holanda me ensinou que não existe um país melhor que o outro, mas sim diferenças. E com elas temos que aprender a conviver! Nem sempre o caminho é coberto de rosas: existem muitos desafios a enfrentar. Depois de tantas lutas, vitórias, alegrias, decepções, cheguei à conclusão que o lugar ideal está dentro de nós mesmos, basta a gente procurar. Hoje vivo em paz com a Holanda e comigo mesma. Acho que minha história é bem parecida com tantas outras de outros brasileiros que por aqui vivem, mas talvez possa servir de exemplo para alguém.

Foto tirada com a ministra de desenvolvimento social, mw. Ardenne- van der Hoeven em uma das atividades de associação Brazilië- Holland Stichting.

Share
 
Comente a coluna
Comentários



Gustavo - 06/04/2012
ola... li a sua entrevista e achei interessante .... pois sou dentista e estou pensando em fazer doutorado na holanda, daqui a 2 anos, quando acabo minha residencia em buco maxilo.. gostaria do seu contato para podermos trocar algumas informações... obrigado
Relacionadas:
    Não há colunas relacionadas

 

Siga-nos Facebook Twitter Orkut
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
Revista:
revista

Video:


 
Importante: Todas as colunas são de única e exclusiva responsabilidade dos seus autores, não refletindo a opinião dos mantenedores deste portal.
setas
Site criado e mantido por Marcia Curvo.Todos os direitos reservados. Reprodução proibida ©2010.
Para anúncios ou sugestões entre em contato conosco por e-mail.
Telefone: (31) (0)6 18 200 641