Faça do Brasileiros na Holanda a sua página inicial
Anuncie Aqui Anuncie Aqui
logo banner
 Clima   Traffic  moeda positivo Como anunciar
setinha Aprenda Holandês
setinha Classificados
setinha Como chegar
setinha Entrevistas
setinha Ferias escolares
setinha Forum de discussão
setinha Indique o site
setinha Integração Civil
setinha Livro de visitas
setinha Missas em português
setinha Promoções telefônicas
setinha Revista
setinha Turismo
setinha Viagem de menores
setinha Vídeos
Press award

MANCHETES
 

23/04/11 - França quer bloquear fronteiras à UE

Fonte: O Globo

França quer bloquear fronteiras à UE

A França estuda fechar temporariamente as fronteiras à União Europeia para conter a entrada de imigrantes norte-africanos, que chegam pela Itália.

França quer fechar fronteiras ao bloco europeu

País estuda bloquear temporariamente a livre circulação de pessoas para barrar entrada de imigrantes que chegam à Itália

Deborah Berlinck/ Correspondente

PARIS - A França vai apertar para valer o cerco nas fronteiras com o objetivo de impedir a entrada de milhares de imigrantes clandestinos da Líbia e da Tunísia. Fontes do governo, citadas pela imprensa francesa, revelaram que Paris pedirá a suspensão dos acordos de Schengen — que preveem a livre circulação de pessoas no bloco europeu. A decisão de Paris acontece num momento em que o partido de direita no poder — o UMP, do presidente Nicolas Sarkozy — começa a perder espaço para a extrema-direita, que faz uso político do medo a estrangeiros, sobretudo dos que vêm de países árabes. A combinação de uma economia fragilizada por crise internacional, desemprego entre jovens e problemas na integração de árabes das ex-colônias francesas tornou este medo ainda mais latente. Sarkozy amarga
índices baixíssimos de popularidade, e as três ultimas pesquisas mostram que ele pode não ser reeleito nas eleições presidenciais de 2012.

O problema da imigração será o ponto sensível do encontro, na terça-feira, em Roma, entre Sarkozy e o premier italiano, Silvio Berlusconi. A Itália ficou furiosa quando a França bloqueou, no domingo, o tráfego ferroviário entre os dois países para impedir que tunisianos que chegaram à Itália fossem à França.

Confrontada com uma verdadeira invasão de imigrantes, a Itália pediu inicialmente ajuda a Paris e outros governos  europeus. Segundo os italianos, muitos clandestinos da Tunísia queriam chegar à França para encontrar familiares já radicados no país. Mas Paris se recusou a ajudar. A Itália, então, decidiu fazer isso na marra: deu vistos de estadia de 6 meses para mais de 20 mil tunisianos. Pelos acordos de Schengen, isso dá direito à livre circulação nos 25 países que fazem parte do acordo.

A atitude da Itália enfureceu não apenas os franceses, como outros europeus. O secretário de política de imigração e asilo da Bélgica, Melchior Wathelet, reagiu sem diplomacia: — A Itália nos enganou usando regras europeias — acusou. De janeiro a 5 de abril, 22 mil tunisianos desembarcaram na ilha de Lampedusa, na Itália. Pelos acordos de Schengen, os membros da UE têm o direito de dar vistos temporários de estadia a pessoas de fora do bloco. Mas ninguém sabe agora o que fazer com o fluxo de árabes que fogem das revoltas em seus países. Para a Comissão Europeia, a Tunísia não é um país em guerra. Portanto, tunisianos não podem pedir asilo.

Para analistas, crise pode pôr fim a pilar da UE

A França preside no momento a União Europeia. E vai insistir nisso: que seja pensado um mecanismo nos acordos de Schengen que permitam a suspensão temporária quando houver um problema como o atual. Na briga com a Itália, a França também insiste que, segundo os acordos, é responsabilidade do primeiro país que recebe os imigrantes administrar o problema.

Para alguns analistas, a incapacidade dos europeus em administrar a crise atual pode significar o fim dos acordos de Schengen — isto é, um dos pilares da Europa unida, que faz com que hoje 400 milhões de habitantes de 25 países possam circular livremente. É o que sonha a extrema-direita francesa, e vários movimentos populistas e xenófobos no continente, como a Liga do Norte, na Itália. 

Share

Mais manchetes

 

   

 

Siga-nos Facebook Twitter Orkut
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
publicidade publicidade
Revista:
revista

Video:


 
Importante: Todas as colunas são de única e exclusiva responsabilidade dos seus autores, não refletindo a opinião dos mantenedores deste portal.
setas
Site criado e mantido por Marcia Curvo.Todos os direitos reservados. Reprodução proibida ©2010.
Para anúncios ou sugestões entre em contato conosco por e-mail.
Telefone: (31) (0)6 18 200 641